Baianos


20130901-010622.jpg

ZECA DA ESTRADA

Axé… Bahia, axé, axé, axé
Chegou Seu Zeca da Estrada
Chegou baiano de fé

BAIANO LAÇADOR

Cana aqui, cana acolá
Cana aqui, canaviá
É o Baiano Laçador
Que chegou pra trabalhar
CHICO BAIANO

Chico é bom de briga
E é bom també no pé
Baiano bom taí
Vamos ver como é que é

BAIANO BASTIÃO

Bastião, nego de fé
Veio de São Salvador
No borná traz muito axé
Pra ajudar o sofredor

SEU SEVERINO

Mas olha eu camarada, camarada meu
Seu Severino que chegou aqui agora
Na Umbanda bato no peito
Na Quimbanda bato na Angola

SEU SEVERINO

Olha meu camarada, camarada meu
E olha meu camarada, camarada meu
Sou Severino que chegou aqui agora
Candomblé bato no Keto
Umbanda bato na Angola

ZÉ DO COCO

Zé do Coco, por onde anda
Mexe com toda mulher
Mas quando ele chega
Faz o que tu quer
Faz e desfaz, desmancha
Toda a mandinga
E não recusa um bom gole de pinga

PAI BAIANO

Estava tudo desarrumado
Quando Pai Baiano chegou
Não é assim que se faz
Quando se chama o protetor

PAI BAIANO

Pai Baiano ê ê, Pai Baiano ê á
Pai Baiano tem licença
Do nosso Pai Oxalá

QUEBRA-COCO

Quebra-Coco no terreiro
Quebra-Coco no congá
Quebra-Coco vem descendo
Para todo o mal levar
Que a mandinga dos seus filhos
Quebra-Coco vai levar

VIRGULINO (LAMPIÃO)

É Lampi, é Lampi, é Lampi
É Lampi, Lampião
Eu me chamo Virgulino
E o apelido é Lampião

VIRGULINO (LAMPIÃO)

Eu quero um par
Eu quero um par de tamanco para calçar
Eu me chamo Virgulino o apelido é Lampião
O cabra safado que não dá satisfação

Pontos de Linha

1.

Bahia, oh África
Vem cá, vem nos ajudar
Força baiana, força africana
Força divina vem nos ajudar

2.

Baiano é povo bom, povo trabalhador
Quem mexe com baiano
Mexe com Nosso Senhor

3.

Lá na Bahia ninguém pode com os baianos
Quebra coco, arrebenta sapucaia
Vamos todos saravar

4.

Na Bahia tem eu vou mandar buscar
Lampião de vidro, oi sinhá, para clarear

5.

A Bahia é muito longe, Bahia é do lado de lá
A Bahia é muito longe, ahia atravesse esse mar
Bahia só é terra para quem sabe trabalhar

6.

Se é baiano, agora que eu quero ver
Dança catira no azeite de dendê
Eu quero ver um baiano de Aruanda
Trabalhando na Umbanda
Pra Quimbanda não vencer

7.

Quando eu vim da Bahia
Estrada eu não sabia
Cada encruza que eu passava
Uma vela eu acendia

8.

Nheco nheco, tico tico, mela a mela
Eu passei pela capela
Fui ver padre no altar
Eu dei um pulo
Eu dei dois pulos
Eu dei três pulos
Acabei pulando o muro
Não parei mais de pular
Meu camarada
Venha ver a brincadeira
Nêgo planta bananeira
Vira de perna pro ar
Já me falaram
Que a Umbanda é brasileira
Que esta gira é uma beleza
Eu também quero girar
Na Bahia tem vem ver
Leite de coco, xaréu e dendê…

9.

Que navio é este
Que chegou aqui agora
É o navio negreiro
Com escravos de Angola
Veio de Gêge, de Angola
E guiné trouxe a Umbanda
A capoeira e o candomblé

10.

Ai meu Senhor do Bonfim
Valei-me, meu Salvador
Povo da Bahia chegou
Vovó Casturina saravou
Valei-me, valei-me
Valei-me meu Salvador

11.

Bahia, Bahia, Bahia de São Salvador
Quem nunca foi à Bahia
Pede à Deus Nosso Senhor

12.

Balança a porteira velha
Balança, balanceou
Balança a porteira velha
Que o baiano já chegou

13.

Ê… baiana
Ê, ê, ê, baiana, baianinha
Baiana boa, gosta de samba
Entra na roda e diz que é bamba
Apronta a viola que ela quer sambar
Ela gosta de samba, ela quer trabalhar

14.

La na Bahia corre água sem chover
Se a água de coco é boa
Eu também quero beber

15.

Na Bahia tem um coco
Esse coco tem dendê
Olha diga como é
Que se come esse coco
Esse coco que é bom de comer

16.

Oi trepa no coqueiro, tira coco
Chique, chique, nheco, nheco
No coqueiro eu chego lá

17.

Tava na estação, auê
Quando o trem chegou, auê
Cheio de bananas, auê
De São Salvador, auê

18.

Trepa no coqueiro
Tira coco se quizer
Vou chamar a baianada
Pra dançar neste congá

19.

Ai meu tempo, faz tanto tempo
Que meu tempo não volta mais
Quando negro de Aruanda
Cantavam todos iguais
Faz tanto tempo
Na cachanga de Aruanda
A Conceição ia prova
Aladaee êê, aladaê ê a
Preto Velho ficava sentado
No batente do velho portão
Preto Velho com sua viola
Preto Velho com seu violão
Lá na festa da Conceição
Todo mundo pedia e implorava
O menino pegava a viola
Preto Velho então cantarolava
Ai meu tempo, faz tanto tempo
Que meu tempo não volta mais
O menino pegava a viola
Preto Velho então contarolava

20.

Oh Meu Senhor do Bonfim
Valei-me meu salvador
Vinde, salvai vossos filhos
Povo da Bahia chegou
21.
Baiano que é batizado
Entra em qualquer lugar
Arreia, baiano, arreia
Arreia pra trabalhar

22.

Baiano quebra côco
Serra em qualquer madeira
Baiano está no terreiro
Não aceita brincadeira
Baiano quebra mas reconhece
Baiano dá macumbeiro a quem merece

23.

Ô sinhá, ô sinhá, quebrei meu pé
Fugindo da chibatada na colheita de café
Sinhozinho me bateu
Maltratei cavalo dele
Sinhozinho me prendeu
I mandou até o feitor
I no tronco me prende
Eu careço de ajuda
Vou pedir a vós mecê
Corre e avisa ao Pai João
Qui no tronco eu vou ficar
Té o final da escravidão
Ô sinhá, ô sinhá, quebrei meu pé
Fugindo da chibatada na colheita de café
24.
Baiano tem muita ginga
E gosta de bricadeira
Mas desmancha toda a mandinga
E quando vai leva a poeira embora

25.

Chamei, chamei
Chamei os meu dois irmãos
Galinha de Angola
Que chama, chama
Cachorro do Mato
Que enrola a mandinga
Veado no mato é corredor

26.

Pisa bonito baiano, pisa em cima do ouro
Senhor do Bonfim abençoa esse tesouro

27.

Iorerê, Iorerê
Iorerê que dê, que dê
Iorerê que dê, que dá
Corta o cacho
E joga embaixo
Pra ver se o baiano é macho
E dá coragem de brigar

BAIANOS

28.

Eu bebo minha pinga
Eu bebo muito bem
Eu bebo minha pinga
Não é conta de ninguém
Bebo, bebo, beberrão
Copo na boca e garrafa na mão

29.

Vem mano, vem mano meu
Traga seu manto pra vir samba mais eu

30.

Baiano quando vem da Bahia
Ele vem beirando o mar
Deixe a ganga serenar
Auê baiano, baiano que balanceia
Auê baiano, da Serra da Mantiqueira

31.

Ai, ai, bem longe
Bem longe na Bahia
Na capital, capital São Salvador
Hoje tem festa do santo padroeiro
E a baiana lava a escada do senhor
E a baiana que é moça tão formosa
Também lavando a escada do Bonfim
E no seu pote tem água perfumada
Que cheira cravo, cheira rosa e jasmim

32.

Galo piou, piou de madrugada
Balança porteira velha quero ver balancear

33.

Bahia ê ê ê, Bahia ê ê á
Quando eu vim lá da Bahia
Eu trouxe meu patuá
Terreiro que tem mironga
Baiano vai mirongar
Baiano ê ê ê, baiano ê ê á

34.

O bom baiano tem que saber tocar berimbau
Gostar de moqueca de peixe
Saber jogar capoeira para poder se defender
Saber dançar para Iansã, Yemanjá e Nanã Buruquê

35.

Tem mironga no terreiro
Tem mironga no congá
Quem não pode com mandinga
Não carrega patuá

36.

Baiano da grande campina
Oxóssi das matas mandou lhe chamar
Quero ver o baiano descer
Sem o médium balancear

37.

Oi, Quebra coco na pedreira
Quero ver arrebentar
Não demande com meus filhos
Que eu também sei demandar

38.

Quem fala mau de baiano
É quem não tem o que fazer
Cuida mais da tua vida
E deixa o baiano viver
39.
Baiano é bom, baiano é bom
Baiano é bom porque sabe trabalhar
Ele trepa no coqueiro
Quebra o coco, bebe a água
E deixa o coco no lugar

40.

Menina vestida de chita
Chapéu de palhinha de maracatu
Baiana se eu fosse solteiro, tivesse dinheiro
Eu casava com tu

41.
Fui fazer uma caçadaEssa foi pequenininhaCom um facão de sete palmosFora o cabo e a bainhaUma cesta de ovo e 700 galinhas
Eo tricô de cima da linha

42.

Fizeram um despacho
Lá na encruzilhada para poder me derrubar
Mas não adianta, não adianta
Eu também sou de lá.
Se meu pai é Ogum, minha mãe é Iansã
Eles vão me ajudar
Mas não adianta, não adianta
Que eu não vou tombar
Eu não vou tombar

43.

Sou da linha de congo, sou rei da magia
Minha terra é muito longe
Meu conga é na Bahia
Tem areia ô, tem a areia.
Tem areia no fundo do mar tem areia
Nestas matas tem um coco
Neste coco tem dendê
Nestas matas tem mironga
Agora eu quero ver, tem areia ô

44.

Lagoa velha Seu Corisco ia pescar
Peixe grande não me engasga
O lambari quer me engasgar

45.

Eu dei um tiro, deu um gemido
Tem um baiano por aí escondido
Eu dei um tiro na sapucaia
Não tem quem ouça
Ou quem balança ou quem não caia

Baianas
1.

Bota pimenta no meu prato de dendê
A mulherada na cozinha
Eu quero ver
A baiana bonitinha que cozinha só
Pra mim
Oh meu Deus do Senhor do Bonfim

2.

Bota a mão nas cadeiras
E remexe mais, oh Baiana
Vê se remexe mais
Na subida da ladeira
E na descida do Bonfim

3.

Baiana faz e não mandaNão tem medo de demanda
Baiana feiticeira filha de Nagô
Trabalha com pó de pemba
Pra ajudar Babalaô
Baiana sim, baiana vem
Quebra mandinga com dendê

4.

Baiana da saia rendada
Tabuleiro de acarajá
A baiana ta requebrando
Como dança o condomblé
Êêê baiana, baiana do Nosso Senhor do Bonfim
Ê baiana peça a Oxalá por mim

5.

Baiana bate no peito
Peça força a Zambi e vem trabalhar
Baiana da saia rendada
Saúda Senhor do Bonfim Oxalá
Demanda

1.

Marimbondo amarelo me mordeu
Na capela do olho e doeu
É um tiquinho, é um tiquinho
É um tiquinho só.
Na esquerda eu vou dando meu nó.
Olha lá, olha lá, olha lá Zé Mateu
Pois baiano de raça aqui sou eu.

2.

Vamos baianada pisar no catimbó
Amarrar os inimigos na pontinha do cipó
Amarrei, amarrei, amarrei e dei um nó
Amarrei os inimigos na pontinha do cipó.
Quebra a cabaça espalha a semente
Oi mete no coro de quem não gosta da gente

3.

Um baiano, um coco
Dois baiano, dois coco
Três baiano é uma cocada
E quatro baiano, é uma baianada.

4.

Na Bahia tem baiano que sabe ler
Te dou veneno, você morre sem saber.
Me chamaram de criminoso,
Mas não podem me prender.
Quem nunca viu vem ver
Caldeirão sem fundo ferver.
Quem brinca com água quer se molhar
Quem brinca com fogo quer se queimar.
A coruja piou
Vou mandar mandinga
Pra cima de quem me mandou

5.

Tem jararaca, tem cobra no meu jardim
De noite ela me beija, de dia sorri pra mim.
6.

A bananeira que eu plantei a meia noite
Já deu cacho neste terreiro
Eu quero ver este cabra dengoso
Firmar seu ponto e dizer que é macumbeiro
Subida

1.

O trem apitou, baiano viajou
Baiano viajou com Nosso Senhor

2.
A Bahia chamou, chamou
Mandou chamar
Foi Senhor do Bonfim
Que chamou baiano pra rezar
3.

A Bahia, ela me chama
A Bahia me chamou
É com o poder de Deus que eu venho
É com o poder de Deus que eu vou

4.

Seu baiano vai embora
Leva a poeira desta casa
Adeus Umbanda, adeus filho de fé
Quem vai embora sou eu
E quem fica na terra
Ogum é quem manda
Eu vou embora, vou embora Ceci
Meu caminho é por lá mas eu vou por aqui

5.

Cadê a sua pemba, cadê a sua guia
Já vai os baianos embora pra Bahia
Eles vão numa gira só, numa gira só, numa gira só

BAIANOS

6.

Minha reza é forte, Ela é de coroa
Ela vem do norte, É uma reza boa
A mandinga quem manda lá no solo do sertão
É mandinga quebrada na ponta do meu facão
Minha reza é forte, ela é de coroa
Ela vem do norte, é uma reza boa.
Na cumbuca sentada
Do lado de dentro do portão
Passa amigo e camarada,
Gente ruim não passa não.
Minha reza é forte, ela é de coroa
Ela vem do norte, é uma reza boa
Vai-te embora mal olhado,
Sem quizila e amolação
Tá cortada a inveja,
Olho gordo e obsessão
Minha reza é forte, ela é de coroa
Ela vem do norte, é uma reza boa

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s