Testes de Mediunidade


20130602-145306.jpg

Há muito tempo se adotavam nos terreiros de Umbanda, os testes de incorporação queimando-se pólvora nas mãos dos médiuns ou fazendo-os andar descalços sobre brasas ou fazendo-os ingerir grande quantidade de bebida alcoólica.

Felizmente esta prática foi abolida por decisão do Astral Superior, através dos Guias-Chefes, Mentores substituindo estes “testes”, por reuniões de doutrina.

Sintomas da mediunidade

O primeiro sintoma da mediunidade é a facilidade em captar energias negativas no local. O médium começa a abrir a boca, sente dores de cabeça quando está em um lugar com grande aglomeração de pessoas, torna-se irritadiço por qualquer motivo e tem dificuldades no convívio com a família, chegando a pensar que ninguém o entende. Por ser mais sensível do que as outras pessoas, sente com mais frequência às flutuações de humor, além de vivenciar situações estranhas e aflitivas.

O maior estudioso deste tema foi o fundador do Espiritismo, Allan Kardec (1804 – 1869) que assim definiu a mediunidade: “todo aquele que sente em um grau qualquer influência dos espíritos, é, por esse fato, médium”.

Com as orientações do Caboclo das 7 Encruzilhadas (1908), viemos a ter as confirmações expostas por Allan Kardec em seus estudos.

O médium é capaz de produzir um fenômeno de atração magnética e, assim como um imã, consegue captar o campo áurico de uma pessoa ou de alguém que já morreu. Ele é uma ponte entre vivos e espíritos e experimenta fenômenos que desafiam até a ciência.

Para os céticos, o médium é considerado um “portador de algum distúrbio psiquiátrico”, o que não é verdade. O DSM (Diagnostic and Statistical Manual Of Mental Disorders) — a bíblia da psiquiatria, orienta que os médicos devem tomar cuidado para não diagnosticar os médiuns como pessoas portadoras de alguma psicopatia. A ciência é resistente aos fenômenos mediúnicos e, para entender porque isto ocorre, devemos lembrar que até o final do século XIX a mediunidade era chamada de “histeria de múltipla personalidade”.

Os médiuns são porta-vozes de um mundo que as pessoas desejam que exista; isto corre porque a ciência deixa de satisfazer ou atender a uma necessidade emocional. Eles são, portanto, canais de alívio para muitas aflições, sendo encontrados na religião espírita, no catolicismo e não raro em outras religiões que seguem normas mais rígidas.

A mediunidade não escolhe credo, raça ou condição social, ela é divina e universal.

Modalidade dos Médiuns Psicofonia (falantes)

O médium consciente conserva-se desperto, captando o pensamento do Espírito e o transmitindo pela palavra articulada. O médium inconsciente entra em transe mais profundo e “afasta-se” do corpo; o comunicante pode manifestar-se de forma mais direta, como se houvesse uma verdadeira incorporação. Quanto ao médium semi-consciente, reúne algo das outras duas modalidades. O transe não é tão profundo que produza a inconsciência, nem tão superficial que o mantenha plenamente desperto. Mal comparando, diríamos que o médium consciente pensa para falar; o inconsciente fala sem pensar; o semi-consciente pensa e fala simultaneamente.

Como funciona a mediunidade consciente?

O médium capta o fluxo mental do Espírito, gerando idéias e sensações, como se houvesse a intromissão de outra mente em sua intimidade; como se estivesse a conversar com alguém, dentro de si mesmo.

Ouve uma voz?

Seria fácil, mas não é bem assim. Idéias surgem, misturando-se com as suas, como se fossem dele próprio. Parece complicado… E é, sem dúvida, principalmente para médiuns iniciantes, que não distinguem o que é deles e o que é do Espírito. Muitos abandonam a prática mediúnica, em face dessa incerteza, que é perturbadora.

Como resolver esse problema?

É preciso confiar e dar vazão às idéias que lhe vêm à cabeça, ainda que pareçam embaralhadas, em princípio. Geralmente a mediunidade é desenvolvida a partir da manifestação de Espíritos sofredores, o que é mais simples. Não exige maior concatenação de idéias ou esforço de raciocínio. Cumpre-lhe, em princípio, apenas exprimir as sensações e sentimentos que o Espírito lhe passa.

Qual o conselho para o médium que enfrenta esse impasse?

Sentindo crescer dentro de si o fluxo de sensações e pensamentos, que tomam corpo independente de sua vontade, comece a falar, sem preocupar-se em saber se é seu ou do Espírito. A partir daí o fluxo irá se ajustando. É como o motorista inexperiente na direção de um automóvel. Em princípio há solavancos, mas logo se ajusta.

O que pode ser feito para ajudar o médium iniciante?

A participação do grupo é importante. O médium, nessa situação inicial, fica fragilizado. Sente-se vulnerável e constrangido. Qualquer hostilidade ou pensamento crítico dos companheiros, revelando desconhecimento do processo, poderá afetá-lo. Nota-se que na atualidade os médiuns, em maioria, são conscientes.

É uma tendência?

Sim. Embora implique em maior dificuldade para o médium, ele sai lucrando. A psicofonia consciente exige maior envolvimento com o estudo, a disciplina, a reforma íntima, habilitando-o a transmitir com maior eficiência as manifestações, sejam de obsessores, sofredores ou mentores. E que a produtividade e a eficiência de um trabalho mediúnico dependem da sustentação fluídica, formada pelas vibrações dos presentes. Para que haja um padrão vibratório compatível é preciso que os participantes atendam a esses requisitos.

Fonte: Fraternidade Socorrista Mãe Yemanja e Baiano Zeferino
(www.maeyemanjaebaianozeferino.com.br)

Anúncios

Sobre Caminhos para Aruanda

Saravá a todos! Sou umbandista e venho por meio desse "portal" tentar contribuir um pouco para desmistificar a nossa querida Umbanda. Aqui você conhecerá sobre os mitos, orixás, pontos cantados, orações, oferendas e um pouco mais sobre o sincretismo brasileiro. Sejam bem-vindos a nossa cultura Afro-Brasileira, ou melhor, sejam bem-vindos à Umbanda!.
Esse post foi publicado em Doutrina, Mediunidade. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s