A B C D E


A

  • Adjá: Sino de alumínio ou cobre de três bocas.
  • Agô: Licença
  • Agodô ou Ogodô: Uma qualidade de Xangô.
  • Agonjú ou Aganju: Um dos doze nomes de Xangô conhecidos no Brasil.
  • Alguidar: Vasilha de barro onde se coloca comida votiva.
  • Amalá: Comida de Santo. Também se denomina a todo ritual que o umbandista ao manipular alimento deve dispensar atenção, amor e especial carinho, fazendo por completo a Homenagem ao Orixá.
  • Amassi ou Amaci: Líquido preparado de folhas sagradas, maceradas em água. É destinado a banhar a cabeça dos médiuns.
  • Aparelho: Designa a pessoa que serve de suporte para a “descida” da entidade do médium.
  • Aruanda: Céu; lugar onde moram os orixás e as entidades superiores.
  • Aruê: Saudação a Exu (Aruê- Exu ou Laroiê Exu). Termo também usado para espíritos desencarnados.
  • Axé: Força invisível, mágica e sagrada.

B

  • Babá: Termo que entra em grande número de palavras, com diferentes significados. No sentido de pai, compõe o nome de diferentes sacerdotes: Babalorixá; Babaojê; Babalaô; Babalossain; e etc. Chefe feminino nos templos de umbanda, títulos de Orixá nos candomblés.
  • Babalaô: Pai de Santo (baba, pai; aô, completo, tudo; “um pai para tudo”).
  • Babalorixá: Chefe masculino de terreiro; Sacerdote de candomblé; ou de umbanda (a umbanda também o usa = Babalaô). Denominado popularmente “pai-de-santo”, dirige tanto o corpo administrativo como o sacerdotal. Orienta a vida espiritual da comunidade religiosa.
  • Baixar: Incorporar.
  • Bambá: Temível, valente.
  • Banda: Lugar de origem de entidade.
  • Burro: Termo usado pelos exus incorporados para designar o médium.

C

  • Calunga Grande: Mar, Oceano.
  • Calunga Pequena: Cemitério.
  • Cambono ou Cambone: Auxiliar de Médiuns de Incorporação e o Servidor dos Orixás. Auxiliar de culto.
  • Canjira: Lugar onde são realizadas algumas danças religiosas.
  • Capangueiro: Termo usado no sentido de companheiro.
  • Caricó: Templo, Terreiro.
  • Carregado: Pessoa que está com más vibrações espirituais, o que é demonstrado por mal-estar, medo sem causa, etc.
  • Caruruto: Charuto.
  • Cavalo: Pessoa que serve de suporte para os orixás ou entidades. É o médium.
  • Cazuá: Terreiro, Templo, Local.
  • Coité: Fruto do coitezeiro – seco ou partido com o meio pintado por dentro e por fora (cuia). Alguns usam coco, outros usam cabaça.
  • Compadre: Designação para Exu.
  • Congá ou Gongá: A palavra gongá é de origem banto e é utilizada no ritual de Umbanda para denominar o “altar sagrado” existente dentro do terreiro. Este altar, Congá ou gongá, como é chamado, é composto de imagens de santos católicos, caboclos, preto-velhos e outras.
  • Curiar: Comer ou beber.
  • Curimar: Cantar.
  • Curimba: Conjunto de instrumentos musicais do terreiro. Os instrumentos que compõe uma curimba podem ser atabaques, tambor, agogôs, chocalhos, berimbau, violões, etc. Curimba é a orquestra de um terreiro.
  • Curimbar: Dançar, cantando.
  • Curumim: Do tupi Kurumí – menino.

D

  • Dar Firmeza ao Terreiro: Riscar ponto na porteira, sob o altar, defumar, cantar pontos, etc. São feitas antes de uma sessão, para afastar ou impedir a entrada de más influências espirituais.
  • Dar Passagem: Ato do Orixá ou guia deixar o médium para que outra entidade nele se incorpore.
  • Dar passes: Ato da entidade, através do médium incorporado, emitir vibrações que anulem as más influências sofridas pelos clientes, através de feitiço, olho gordo, inveja, etc. E que abrem os caminhos.
  • Demanda: Desentendimento.
  • Descarga: Ação de afastar do corpo de alguém ou de um ambiente, vibrações negativas ou maléficas por meio de banhos, passes, defumação, queima ou pólvora.
  • Descarregar: Livrar alguém de vibrações maléficas ou negativas.
  • Descer: Ato de orixá ou entidade incorporar.
  • Desencarnar: Ato do espírito da pessoa deixar o corpo – morrer.
  • Desenvolvimento: Aprendizado dos iniciados para melhoria de sua capacidade mediúnica; com a finalidade de incorporação de entidades.

E

  • Egún: Nome genérico dos espíritos dos mortos.
  • Encosto: Espírito de pessoas mortas. Que se junta a uma pessoa viva, conscientemente ou não, prejudicando-a com suas vibrações negativas.
  • Encruza: Local onde habitam os exus; são o cruzamento dos caminhos, vias férreas, ruas, etc.
  • Endá:  É como os antigos chamavam os Babalorixás de Umbanda quando visitavam outro terreiro e os ogãs puxavam a cantiga: “Sarava o Endá , Saravá Oxalá a coroa do Babá”.
  • Engira: O mesmo que gira – trabalho – sessão.
  • Engoma: Atabaques.
  • Entidades: Seres espirituais na umbanda.
  • Espírito de Luz: Espírito muito desenvolvido, é superior, é puro.
  • Espíritos Obsessores: Espíritos sem nenhum desenvolvimento espiritual, que se apossam das pessoas, fazendo-as sentirem doentes, prejudicando-as em todos os sentidos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s